Big Data Week Brasil

O melhor blog sobre Big Data e Data Science do Brasil.
1
Feb

O uso da Inteligência Artificial no varejo

O uso da Inteligência Artificial no varejo

Imagem: Shutterstock

A Inteligência Artificial já está sendo usada em diversos segmentos, como agricultura, medicina, marketing e varejo. No Brasil, empresas como a Magazine Luiza, Grupo Pão de Açúcar, Drogasil e Mercado Livre estão começando a aplicar essa tecnologia para melhorar a experiência do consumidor e ampliar as vendas. Alguns dos principais benefícios da IA no varejo são:

Responsabilidade ambiental

A automação e o uso de robôs podem ajudar a digitalizar todas as transações efetuadas, como o envio de faturas e recibos por meio eletrônico. Isso não só reduz o uso do papel, mas ajuda nas operações administrativas e em departamentos que gastam muito tempo imprimindo e arquivando documentos.

Varejo físico

Além do varejo online, o físico também se beneficiará da Inteligência Artificial. As lojas poderão ter reconhecimento facial para ajudar os clientes a adaptar sua experiência de compra, etiquetas de preços inteligentes, robôs que buscam e transportam produtos e pagamentos em máquinas de autoatendimento, melhorando a eficiência da loja e a experiência do consumidor.

Pode parecer distante, mas a loja do futuro já está sendo testada em São Paulo: a Omnistory. Além de reconhecimento facial, a loja dispõe de vitrines inteligentes que exibem ofertas personalizadas aos consumidores e oferece a possibilidade de pagamento via celular, sem precisar se dirigir ao caixa. Por meio do monitoramento e de um mapa de calor, é possível saber o caminho que o cliente percorreu dentro do espaço, o que comprou, quanto tempo ficou na loja etc.

Melhor experiência do consumidor

O comprador de hoje quer velocidade, qualidade e melhor atendimento por parte da loja. Com a Internet das Coisas, manter-se conectado a lojas e marcas será mais fácil e os clientes poderão obter respostas instantâneas sobre o seu pedido através de várias plataformas, como Facebook e WhatsApp.

Os robôs não só ajudam a eliminar o longo tempo de resposta nos departamentos de atendimento ao cliente, mas também coletam dados demográficos, ajudando a melhorar os produtos/serviços. Com o auxílio da tecnologia de Machine Learning do Google, a Magazine Luiza usou a IA para criar uma lista com semelhanças dos melhores clientes e, assim, conseguiu obter novos consumidores e reduzir custos.

O Grupo Pão de Açúcar lançou recentemente programas de fidelidade por meio de aplicativos, como o Pão de Açúcar Mais e Clube Extra, que analisam as informações de mais de 13 milhões de clientes cadastrados e segmenta a oferta de descontos. No Mercado Livre, um programa de fidelidade também foi criado para entender melhor o usuário e fazer com que ele compre e venda mais na plataforma.

Muitas outras pequenas e grandes empresas já estão utilizando a IA para melhorar a experiência de atendimento e compra do cliente. Todas as transações e etapas do varejo estão sendo revolucionadas com as novas tecnologias, visando atender as demandas de um consumidor cada vez mais interativo. A Inteligência Artificial já existe, basta somente os varejistas acelerarem para implementá-la.